No fim-de-semana que passou...

junho 30, 2014

Foi mais ou menos assim:
A fotografia fala por si :)

Com tempo de chuva lá fora, passei o fim-de-semana em casa. Andei a por a leitura em dia e passei grande parte do tempo a passear pelo meu pinterest, actualizá-lo e organizá-lo. Também é necessário destralhar as nossas redes sociais, então estive a deixar de seguir algumas pessoas que já não me interessam e a seguir outras novas.
Como um dos meus objectivos é tornar a alimentação cá de casa mais saudável andei à procurar de alguns blogs sobre o assunto. Os que eu gostei mais:
- Dieta das princesas (este já seguia, mas não podia de deixar de referir porque é um blog que me tem inspirado muito) 

Alguns são blogs 100% vegetarianos (vegans) e outros são com receitas saudáveis e gluten-free. Não sigo rigorosamente nenhum dos tipos de alimentação, mas gosto de me inspirar neles para confeccionar pratos mais saudáveis cá para casa e ir fazendo algumas alterações no menu (tema para falar posteriormente noutro post).  

Deixo aqui um pequeno excerto do post desta semana que eu adorei:
"Quantas vezes já te disseram que seu sonho era impossível? Quantos planos feitos, pensados e repensados foram por água abaixo apenas com uma simples palavra negativa de um amigo, parente ou desconhecido? “Tenha pés no chão“, dizem eles, nos fazendo pensar que nossos sonhos não passam de uma bobeira. E então começamos a analisar, repensar e percebemos que realmente, aquilo que já estava estruturado em nossas mentes, não é pra nós. (...) Tenha seus objetivos. Jamais deixe que os conflitos internos de alguém pisem em seus sonhos. Comece agora o que você planeja pro futuro. Não deixe para depois. Pois há um grande risco de chegarmos amanhã e descobrirmos que não era cedo demais. Não é impossível. Basta dar o primeiro passo." - por Camile Carvalho, do blog Vida Minimalista.

Fez-me lembrar por momentos que passei quando tomei a decisão de ir estudar novamente aos 26 anos e tirar o meu curso. Uma pessoa bem próxima de mim disse-me que estava a dar um passo maior que as minhas pernas podiam dar. Na altura custou-me imenso e fez-me pensar se seria mesmo capaz...A verdade é que não desisti e consegui fazer os três anos de faculdade, passei por momentos de dificuldade mas não me arrependo. Vale a pena lutar pelos nossos sonhos!

Boa semana :)

Destralhar a casa - Sala

junho 27, 2014


Na terça falei de como destralhei as superfícies visíveis do quarto. Também já falei como é o meu processo para destralhar. Hoje vou falar da sala...nós consideramos a sala, porque tentamos dividir o espaço, mas ela está na mesma divisão que o quarto. Claro que preferia ter separado mas temos que nos adaptar ao espaço que temos. Vou mostrar-vos como antes estava:


Consegui destralhar algumas coisas aqui e, com tempo, quero fazer outras alterações. Então vejamos o que fiz e planeio ainda fazer:
1- Tirei o espelho da porta que estava partido. Ter coisas partidas em casa e principalmente espelhos só trás más energias. Será uma coisa que tenho de comprar, porque gosto de ter um espelho grande.
2- Trocámos a televisão por uma que ocupa menos espaço (vendemos a velha). E assim deixamos de ter a box que descodificava os canais, pois a tv nova já vem preparada para receber o sinal da antena. Nós não temos televisão paga, acho completamente desnecessário, uma vez que aqui em França temos quase 30 canais livres. O espaço é pequeno mas mantemos o pequeno sistema de som, porque quando estamos na rua gostamos de ligar as colunas ao computador e ouvir música. 
3- Tenho agora uma caixa branca debaixo do móvel, para guardar todo o material de multimédia (carregadores, cabos, etc.) que andava espalhado pela casa. Assim está tudo no mesmo lugar, mas ainda tenho que a destralhar. 
4- Ainda estão dois pesos de musculação guardados debaixo do móvel, mas ninguém os usa. Tenho que convencer o Edgar a vendê-los. Só me dão trabalho cada vez que quero limpar o chão por baixo do móvel.
5- O móvel da tv está organizado por dentro: tem jogos de tabuleiro, a playstation do homem da casa e os respectivos jogos (são poucos porque ele troca numa loja de jogos usados). Os fios dos aparelhos eléctricos estão todos bem arrumados por detrás do móvel de maneira a que não se vejam. Os que não são usados regularmente nem sequer estão ligados à corrente.
6- É por detrás da televisão guardamos os nossos dois portáteis, que queremos vender e adquirir só um mais pequeno. O meu está muito velhinho (mas cá se vai aguentando) e o dele é enorme e nem o usa desde que vim viver para cá (antes era o nosso meio de comunicação). 
7- Tirei as almofadas velhas e a manta que estavam por cima do sofá. A manta foi guardada no roupeiro e as almofadas foram para o lixo, estavam mesmo velhinhas e não havia nada a fazer. Ainda não coloquei nenhumas e não sei se vou colocar. 
8- Mandei para o lixo o chapéu que estava pendurado na parede, nem sei bem para quê. 
9- Os sapatos que estavam sempre ao lado do móvel da tv estão na arrecadação e, como já não se entrar em casa com os sapatos da rua, não ficam espalhados pela casa. 
10- Finalmente, coloquei cortinados para conseguir ter as portadas da janela sempre abertas e só quando é necessário fecho-os.  


Gostava de trocar o móvel de Tv por um tipo o da foto, e tirar definitivamente o sofá do quarto, mas não consigo convencer o homem. E quando mudarmos de casa vai-nos fazer falta os primeiros tempos, até ser trocado por um também como o da foto. 

Já fiz algumas mudanças e visivelmente está melhor...agora vamos ver com o tempo as coisas ficarem como quero. Tenho vindo a verificar que não tenho muita tralha em casa e preciso é de trocar algumas coisas (por ex. alguns móveis).  

Destralhar a casa - Quarto

junho 24, 2014


Destralhar a casa tem sido um processo que tenho feito ao longo destes cinco meses. Como já falei aqui no blog, vivo numa casa relativamente pequena, por isso é um pouco mais fácil. Mesmo assim não significa que não tenha e que não continue a entrar tralha para dentro de casa. 
Lembro-me no início planear diversas alterações para a nossa casa e fiz umas listas enormes de coisas a comprar no Ikea (a minha loja preferida). O Edgar vivia cá sozinho e, por passar pouco tempo em casa, não ligava muito à decoração e organização desta. No outro dia encontrei essas listas e quando fui a ver não preciso nem de metade do que lá está. Isto é o meu minimalismo a falar! A verdade é que ao longo deste caminho para uma vida mais simples, tenho vindo a retirar cada vez mais coisas, simplificando mais ainda, e tenho mudado os meus pensamentos em relação ao que preciso realmente para a casa. Às vezes temos as nossas casas cheias de coisas e, por vivermos nesta era do consumismo, compramos ainda mais coisas desnecessárias. Por isso, acho importante planear e registar os projectos que desejamos fazer e, só depois de um tempo, voltar ver se ainda queremos seguir com eles.
Nos meus próximos posts vou mostrar as principais alterações que ocorreram cá em casa. Ainda não tinha o blog e já tirava fotografias porque queria ver a evolução dos meus projectos. Hoje vou começar pelo nosso quarto. 
A minha preocupação no início foi tirar o que me incomodava visivelmente. O quarto está quase sempre apresentável...nunca deixo a cama para fazer nem roupas espalhadas pelo quarto. Mas tinha um problema com a mesa de cabeceira...ora vejam, e comparem com a fotografia de cima:


Tinha muita coisa em cima da mesa e papéis para organizar (no canto inferior esquerdo da foto ainda vejo a mala de viagem, que já está guardada). As alterações que fiz:
1- Tirei tudo de cima da mesa: os óculos de sol estão num cesto à entrada de casa; o cinzeiro que guardava moedas foi substituído por um dos cestos que estão na foto em cima. Deixei estar o candeeiro, mas quero substituir por outro suspenso do meu lado da cama, porque só eu é que utilizo para ler à noite. 
2- Comprei três cestos. Às vezes é preciso adquirir coisas novas para organizar a casa, não é só mandar fora. No maior está toda a minha bijutaria que quero destralhar; no médio são guardadas as moedas que o Edgar não gosta de ter na carteira e os carregadores de telemóvel (nada fica nas tomadas eléctricas à noite); e o pequeno tem por enquanto ganchos meus para o cabelo. 
3- Os documentos foram organizados e colocados nas caixas brancas que comprei. Como não temos escritório então é guardado tudo nestas caixas. Uma caixa é para o material necessário (folhas para impressoras, furador, agrafador, canetas, etc...). Outra tem os meus documentos e o dossier da casa e, por último, tenho outra só para os documentos do Edgar. Ainda estou à espera que um dia ele organize os seus documentos (é não perder a esperança).

É verdade que se diz muito sobre os meta-tralhas (caixas e cestos que guardam tralha), mas no meu caso tive de comprar para guardar e organizar melhor as coisas. Nas minhas caixas quase que não tenho tralha, mas mostrarei noutro post mais tarde. 
Na imagem de cima também podem ver a cómoda. Antes não tinha nada em cima e servia muitas vezes para se deixar a roupa. Então coloquei os três porta-velas que trouxe de casa dos meus pais e os únicos livros que guardo. Tinha mais livros em casa dos meus pais mas vendi-os todos (como disse aqui), porque sei que não vou voltar a lê-los. 

Coisas que ainda quero fazer:
- Colocar mais dois quadros por cima da cama (do mesmo tamanho)
- Trocar o candeeiro
- Comprar uma capa de edredon nova branca e duas almofadas laranjas como na imagem em baixo. A cor escolhida é laranja por ser a cor preferida do Edgar e porque significa alegria, vitalidade, prosperidade e sucesso. A cor branca significa paz, pureza e limpeza (podem ver mais sobre outras cores aqui). Acho a conjugação perfeita.

Queria muito pintar o quarto todo de branco, mas como vivo numa casa alugada e sabemos que vamos trocar de casa no próximo ano, então não vale a pena. 

Agora acho que não tenho assim tanta tralha visível no quarto (para não dizer nenhuma). Os próximos passos são destralhar dentro do roupeiro e das caixas brancas.

No fim-de-semana que passou...

junho 23, 2014


Foi tempo de abrir as portas ao verão e aproveitar cada minuto. Sei que em Portugal choveu um pouco, mas aqui em França esteve um tempo fantástico. Foi tempo para dar uns mergulhos no lago, para dormir uma sesta (sabe tão bem nestes dias de calor), para começar a ler mais um livro... 
Já devem ter reparado que ao fim-de-semana não passo aqui no blog, foi umas das regras que coloquei logo no início. E com as tarefas aqui em casa é igual. Não deixo nada para fazer no fim-de-semana, porque gosto de aproveitá-lo para não fazer nada e estar livre para qualquer coisa. 

Mas gosto sempre de espreitar os meus blogs preferidos e (re)ler posts interessantes:
- Um guia para viver com menos de Careese Rials, que nos ajuda neste caminho que percorremos para uma vida mais simples.   
- Gostei muito das 6 coisas que (re)aprendi neste retiro de Miss Kale. 
- O essencial, o necessário e o supérfluo de Marcelo Guterman, ajuda-nos a distinguir bem estes três níveis de necessidade.  
- E o declutter passo a passo de Camile Carvalho, do blog Vida Minimalista. Não tenho papelada dos estudos para destralhar, mas todos nós temos a papelada de casa (documentos pessoais, faturas, etc.). É esta semana que vou destralhar estes documentos. 

Boa semana :)
créditos imagem | freepik

Mudança de um Hábito

junho 20, 2014


Faz amanhã 2 meses que deixei de fumar, parece que foi há mais tempo, mas não. Como me sinto? Fantástica e penso que foi a melhor atitude que tive, desde que decidi começar esta jornada para uma vida mais simples. Dizem que demoramos 21 dias para criar um novo hábito e 30 dias para torná-lo natural. Portanto, acho que consegui mudar este mau hábito, mas é necessário continuar e não desistir...persistir.  

Como é que eu consegui? Primeiro fui inspirada pela leitura do livro "O Poder do Hábito" que falei aqui, depois é querer mesmo muito e ter força de vontade. 

Para começar a mudar um hábito devemos fazer algumas perguntas:
1- Porquê que fazemos esse hábito? Ter consciência do nosso problema. Eu comecei a fumar com os meus 16 anos por influência dos amigos e porque em casa fumar já era uma coisa normal (os meus pais fumam). Por duas vezes tentei deixar de fumar: a primeira foi quando estava grávida porque enjoei ao tabaco, nem conseguia com o cheiro (foi uma coisa boa); a segunda porque queria juntar o dinheiro que gastava para comprar outras coisas mais importantes. Sempre foram motivos fortes mas voltei sempre. Porquê? Porque houve alterações na minha vida e fizeram com que passasse momentos de ansiedade, de stress, de desmotivação. 
2- O que realmente queremos mudar e porquê? Eu quero mudar o meu estilo de vida, simplificá-la e ser mais saudável. Mas a minha principal razão é por ver cada vez mais pessoas que conheço a terem problemas de saúde devido a maus hábitos, então decidi que é agora que devo mudar, não quando algum problema surgir. Muitos estudos indicam que mudar um hábito mau, é preciso criar um novo hábito positivo. Eu deixei de fumar e ao mesmo tempo de beber tanto café, porque associava sempre o cafezinho com um cigarrinho, para criar um novo hábito: beber chá, normalmente verde ou menta, e sinto-me bem mais tranquila com esta mudança.
3- O que ganhámos ao realizá-lo e ao mudá-lo? Em ralação ao hábito que mudei, não ganho nada por fumar, pelo contrário só perco. Agora ganho muito em mudá-lo...saúde, vida e dinheiro, e principalmente satisfação porque sinto-me orgulhosa por estar a conseguir, o que faz com que não perca a motivação. Se alguma vez tiver uma recaída, é esquecê-la e recomeçar logo de novo. Tenho de manter o meu foco e pensar sempre que não vou voltar a ter esse hábito seja qual for a mudança que aconteça na minha vida. 

Eu dou o exemplo de deixar de fumar, mas estes pensamentos servem para qualquer hábito que queremos mudar. Não é fácil e dá algum trabalho, mas acabar com alguns maus hábitos pode fazer muita diferença na nossa vida. Um dos concelhos que dou é que comece devagar, para que a mudança não cause mais stress ainda. É importante não desanimar com recaídas e pequenas falhas, pois fazem parte do processo. Lembro-me de uma vez estar num jantar de amigos e comecei a ficar muito stressada, por estarem todos a fumar e eu não podia e não queria, mas acabei por fumar nessa noite. Só que no dia seguinte não desisti do meu objetivo, apaguei o meu deslize da noite anterior e continuei sem fumar. Não podemos esquecer que o mais importante que a velocidade é o caminho que fazemos e o ritmo que mantemos para ter sucesso.
Para não perder a motivação devemos arranjar estímulos que nos motivam ao longo do caminho, por exemplo: partilhar com quem nos rodeia a nossa experiência, as nossas dificuldades e as nossas conquistas, para que nos ajudem a cumprir o nosso objetivo. Tudo o que ajuda a manter o foco durante o processo de mudança é bem-vindo.  

Lembrar sempre que “Não tem nada que não possa…se criar os hábitos certos” (Charles Duhigg), pois qualquer hábito pode ser mudado ao criar uma nova rotina e persistir, até o novo hábito tornar-se natural. Isto porque um hábito é apenas uma forma de pensar repetitiva. A palavra-chave é persistência.

Desejo bom fim-de-semana e boas mudanças de hábitos...

créditos imagem | Flickr blue mountain thyme

Inspiração para uma vida mais simples #4

junho 19, 2014


A vida não é as coisas que temos mas sim os momentos, as histórias e as experiências que guardamos. Hoje em dia, ignorar este mundo do consumismo desenfreado é um desafio, pois o apelo ao consumo é cada vez maior. As pessoas compram coisas que não precisam, com o dinheiro que não têm, para mostrar aos outros. Mas nós não somos os bens que possuímos, por isso devemos usar o nosso precioso tempo e dinheiro para viver momentos únicos, que não vão estar à espera eternamente que deixemos a inércia trabalho, casa, trabalho, casa, só para poder comprar mais um objecto desejado. 

créditos | imagem 

O Poder do Agora

junho 17, 2014

Este mês estive a ler o livro O Poder do Agora de Eckhart Tolle, pois sendo um dos meus principais objectivos esquecer a minha ansiedade pelo futuro e as tristezas e frustrações pelo passado. Demorei um pouco a ler o livro, porque o próprio autor aconselha-nos a fazer algumas pausas para parar de ler e pensar no que foi dito. O meu principal problema é que estou sempre a pensar em alguma coisa (como já disse aqui) e, segundo o autor, o principal problema é que as pessoas estão quase sempre com a mente no passado ou no futuro e não dão a devida importância ao presente. 

Nada jamais aconteceu no passado, aconteceu no Agora. Nada jamais irá acontecer no futuro, acontecerá no Agora. – Eckhart Tolle

Eckhart conta-nos que até aos trinta anos era extremamente ansioso e sofria de depressão, mas passou por uma profunda transformação espiritual e desde então é conselheiro e mestre espiritual. Por isso o livro tem o formato de perguntas e respostas e todas as questões foram formuladas pelas pessoas que participaram nos seus seminários.

Agora falando dos nosso pensamento, o autor afirma que 80% a 90% deles são repetitivos, inúteis e, devido à nossa natureza frequentemente negativa, são também nocivos. É assim que gastamos muita da nossa energia vital. Pior é que nós perdemos tanta coisa na vida por não vivermos no exacto momento e esperamos sempre que aconteça sempre algo para fazermos um dia o que realmente queremos. Não é verdade que nós dizemos muitas vezes “Um dia, quando isso ou aquilo acontecer, vou ficar bem, feliz, em paz". Ou seja, nós vemos o presente como um meio para obter o fim desejado. Para o autor, isto é algo que só existe nas nossas mentes, nunca na realidade. O momento presente é tudo o que nós temos, por isso devemos fazer do Agora o foco principal da nossa vida. No dia-a-dia é possível pôr isso em prática dando total atenção a qualquer acti"vidade rotineira, por exemplo, "todas as vezes que subir ou descer as escadas em casa ou no trabalho, preste muita atenção a cada passo, a cada movimento, até mesmo à sua respiração. Esteja totalmente presente". 

O autor também afirma que muitas vezes só procuramos "do lado de fora, as migalhas de prazer, aprovação, segurança ou amor”, em vez de olharmos para o nosso interior, onde está a cura para todo o nosso sofrimento (anseios, necessidades, desejos, apegos e aversões). A nossa felicidade só depende nós! Temos que deixar de ter mais e passar a ser mais! Olhar mais para dentro de nós! 

Podia estar aqui o dia todo a explicar cada técnica que o autor nos dá para libertarmo-nos da nossa mente, deixar de sofrer com o desnecessário e passar a viver o momento Agora, mas como o meu interesse pelo livro despertou com um post do blog Desassossegada que, na minha opinião, resume muito bem o que está escrito no livro, deixo aqui o link para quem estiver interessado e ir lá ler.

Aqui está um filme com a explicação de Eckhart Tolle de "Como largamos o vício de pensar":


No fim-de-semana que passou...

junho 16, 2014

Foi tempo de relaxar, de ler e de aproveitar momentos para não fazer nada! Como já começa a ser hábito por aqui, no fim de semana raramente ligo o computador. Sinto-me feliz porque estou a conseguir desligar-me pelo menos dois dias por semana. 

Mesmo assim, ainda fui espreitar algumas coisas na internet e estive a ler alguns artigos que achei muito interessantes no site Mind Body Green. Para quem procura uma vida mais equilibrada e mais saudável, acho que vale a pena perder algum tempo a ler o que por lá publicam. No seguimento do post de sexta, gostei de ler sobre 5 formas de começar melhor o nosso dia. Antes quando acordava a primeira coisa que fazia, quando ia a caminho do wc, era carregar na tecla On do computador. Há pouco tempo deram-me um smartphone, então agora faço pior ainda, quando acordo a primeira coisa que faço é olhar para ele e ver se tem alguma notificação. Como a autora do artigo diz, isto é um péssimo hábito, porque quando acordamos de manhã estamos mais vulneráveis, por isso devemos evitar as tecnologias (telemóvel, computador, televisão, rádio) e carregar o nosso corpo com energia positiva. Então esta semana pretendo mudar este mau hábito e planear uma nova rotina matinal, seguindo duas dicas: praticar nem que seja cinco minutos de mindfulness e praticar alguns exercícios simples de yoga. Uma das coisas que já faço é abrir as janelas de casa para estar em contacto com a natureza e ouvir os passarinhos enquanto estou no computador. Tentei uma altura escrever um diário, mas não durou muito tempo. 

Outro artigo que destaco é 5 sinais de alerta que estamos lidando com uma pessoa tóxica. No processo de destralhar a nossa vida é muito importante eliminar este tipo de pessoas, mas também é importante identificar se nós próprios temos algumas características das pessoas tóxicas e reconhecer alguns comportamentos a evitar. 

Quero ainda referir um post do blog Desassossegada que li na semana passada: Como livrar a mente dos pensamentos negativos. Nós devemos trocar este pensamentos por pensamentos positivos, mas não é pensar em outra coisa e sim encontrar uma forma de pensar em algo positivo sobre o mesmo assunto ou situação que está incomodando a nossa mente. 

Boa semana e boas leituras :)

10 Maneiras de Destralhar a Mente

junho 13, 2014


Um dos meus principais objectivos nesta caminhada para o minimalismo é destralhar a mente. Como disse neste post eu quero ser mais presente e viver mais o agora (dica 40). Tenho passado a minha vida num constante estado de ansiedade e posso mesmo dizer de frustração por situações que vivi no passado. Durante um dia inteiro, até mesmo a dormir, passam um milhão de pensamentos pela minha cabeça. Por exemplo, às vezes acordo a meio da noite e estou o tempo todo a pensar sobre algo que me aconteceu durante o dia ou pensamentos e ideias de coisas que tenho para fazer. Por isso para mim mais importante que destralhar a casa é destralhar a mente. E é uma tarefa bem mais difícil, mas não impossível. Tenho vindo a adoptar algumas soluções para lidar com esse problema:

1. Anotar tudo. Eu uso um caderno de notas ou mesmo uma aplicação no telemóvel (Google Keep) para passar tudo o está dentro da minha cabeça...Ajuda-me muito e assim sei que registei o pensamento e não vou esquecer. Pode ser qualquer coisa, tarefas, ideias ou algum problema a resolver...tudo! Mas uso só aquelas duas ferramentas, para depois não andar perdida também em papéis.

2. Respirar. Nos momentos de mais ansiedade e stress, respiro profundamente e concentro-me durante alguns minutos, 10 a 15 minutos, na minha respiração. Ás vezes o stress faz com que até mesmo a mais simples tarefa seja difícil. Uma boa forma para acalmar a mente é sentir a nossa respiração, não pensar, apenas sentir. Ao fazer isto, deixo de concentrar-me nos pensamentos para passar a concentra-me na respiração. 

3. Cuidar mais de mim mesma. Dormir mais, o que significa para mim dormir o suficiente (antes achava que dormir era uma perda de tempo). Levar uma vida mais saudável: comer bem e fazer exercício. Se o corpo sofre a mente também sofre, por isso é essencial melhorar a nossa saúde. Tenho adoptado uma alimentação mais saudável e gosto muito de fazer caminhadas e estar em contacto com a natureza. 

4. Destralhar os itens físicos. Isto é essencial para a simplificação da vida, a desorganização não faz bem a ninguém, para além de que é poluição visual e assim exige mais da nossa atenção, tirando o nosso foco no que realmente precisamos de nos concentrar. 

5. Observar como estou a sentir-me e reconhecer o porquê. Controlar os meus pensamentos para ficar mais calma. Agora, quando sinto ansiedade, pergunto-me se é realmente relevante pensar nessa situação. Há coisas que já aconteceram há tanto tempo que não tenho necessidade de pensar nelas e continuar com sentimentos perturbadores.   

6. Parar de deter-me sobre as coisas. Claro que isto é mais fácil dizer do que fazer, mas há coisas que acontecem na vida que não dependem de mim, então tenho que aceitar isso, deixar ir e parar de me preocupar com isso, para passar a pensar nas coisas que posso controlar. Pensar em tudo o que me faz feliz: a minha filha, o meu companheiro, a minha cadela, as nossa próximas férias no nosso país, ou mesmo em nada. Pensar no nada também faz bem. 

7. Identificar o essencial. Escolher bem o que é realmente importante para mim e focar-me nisso. Por exemplo, eu decidi escolher com quem e a que vou dedicar a minha vida. Deixar de perder tempo com pessoas tóxicas e com compromissos sociais, que nada contribuem para a minha felicidade. E assim deixar a mente livre de pensamentos negativos.  

8. Concentrar-me numa coisa de cada vez. Quando faço uma série de actividades não presto a necessária atenção a qualquer uma delas. Não é possível fazer o meu melhor ou ser o meu melhor quando estou a tentar fazer tudo a correr e ao mesmo tempo. Multi-tasking não trás mais produtividade nem mais felicidade, ou seja, tenho que fazer uma tarefa de cada vez e só quando terminar, passar à tarefa seguinte. 

9. Reduzir a carga. Quando não consigo aguentar todas a tarefas, não posso ter medo de pedir ajuda. E isto serve para casa ou no trabalho, pois se nos sentimos sobrecarregados, não há nada de errado pedir ajuda. Só mostra coragem de nossa parte, e não fraqueza. 

10. Conversar com quem confio. É muito bom poder falar com alguém que confiamos. Um bom método que uso é escrever um email todas as semanas para a minha irmã. Nós somos gémeas e temos uma ligação muito forte. A minha mudança para França não foi muito fácil e esta foi a forma que arranjámos de estar sempre presentes. Se não tem ninguém para confiar, escrever num diário também ajuda. Ao descarregar os nossos pensamentos estamos a aliviar a nossa mente. 

Nem sempre é fácil destralhar a mente e colocar os nosso pensamento de lado, mas tenho dedicado algum tempo a esta "tarefa". Se tenho notado diferença? Tenho...noto que o meu passado já está bem mais longe e não regresso a ele tantas vezes e ando menos ansiosa com o futuro. Os meus dias são bem mais calmos e produtivos. 

créditos da imagem | David Jubert

Inspiração para uma vida mais simples #3

junho 12, 2014


"Deixe que o barco da sua vida seja leve, carregado apenas com aquilo de que precisa - um lar aconchegado e prazeres simples, um ou dois amigos que valham esse nome, alguém para amar e alguém que o ame, um gato, um cão, um cachimbo ou dois, o suficiente para comer e o suficiente para vestir, e um pouco mais do que o suficiente para beber, pois a sede e uma coisa perigosa"
- De Jerome Klapka Jerome in "Simplifique a Sua Vida" de Elaine St. James.


imagem | graciouslady

O meu blog é neutro em CO2, neutraliza o teu também...

junho 11, 2014

Hoje foi o dia de tornar o meu blog neutro em CO2. Antes de ter o blog já tinha lido sobre esta campanha há algum tempo no blog da Ana, Go Slowly. Então lembrei-me de fazer o mesmo, pois esta campanha é bem simples e não podemos esquecer que a preservação do meio ambiente é uma atitude não só necessária, mas também possível e sem muito esforço.

E porquê tornar o blog neutro em CO2? Porque um blog produz, em média, 3,6 kg de dióxido de carbono por ano. A ideia é plantar uma árvore por cada blog neutralizando assim os seus efeitos. 

Se ainda não aderiste, podes fazê-lo aqui

40 Dicas para viver uma vida mais simples

junho 10, 2014

Nesta minha jornada para uma vida mais simples tenho vindo a adoptar algumas dicas que tenho encontrado neste mundo da blogosfera. Como o significado de uma vida simples pode ser diferente para cada pessoa, acho nunca é demais falar no assunto e falar do que tenho aprendido ao longo do tempo. Assim, deixo hoje aqui algumas dicas que me ajudaram a simplificar e a aproveitar melhor a vida:
  1. Estabelecer rotinas simples.
  2. Fazer a cama todos os dias logo de manhã.
  3. Acordar cedo. Eu agora estou desempregada mas acordo na mesma todos os dias da semana às 5h30 e ao fim de semana o mais tardar às 8h00.
  4. Colocar o despertador pelo menos 15 minutos antes.
  5. Dormir o suficiente para mim (7 horas).
  6. Mudar de roupa quando chego a casa e arrumá-las sempre. Não deixar no chão ou em cima da cama ou do sofá. 
  7. Organizar a casa em 15 minutos todos os dias, de preferência ao final do dia. 
  8. Antes de dormir guardar tudo o que está fora do sítio. 
  9. Não deixar a cozinha por arrumar. Faz toda a diferença quando acordo de manhã. 
  10. Tento todas as semanas tirar alguma coisa dos armários que não uso e sei que não vou sentir falta. 
  11. Ter uma alimentação mais simples e mais saudável. 
  12. Fazer caminhadas. Não gosto de conduzir prefiro andar a pé.
  13. Ler um bom livro e dar-me mais momentos de leitura.
  14. Ser grata todos os dias pelo que tenho.
  15. Ir destralhando uma divisão da casa, uma caixa ou uma gaveta de arrumação de cada vez. Várias vezes, pois destralhar é um processo continuo. 
  16. Ter as superfícies em casa limpas e sem tralha.  
  17. Livrar-me de coisas que não gosto e sem utilidade. Decorar a casa com coisas simples e poucas.
  18. Encontrar um lugar para tudo (de preferência, fora da vista).
  19. Arrumar as coisas logo que terminar de usá-las.
  20. Definir 15-30 minutos para passar pelo email e limpar a minha caixa de entrada. E apenas duas vezes por dia. 
  21. Ter um sistema simples para arquivar a documentação.
  22. Criar uma ementa semanal. 
  23. Fazer um orçamento mensal. 
  24. Reduzir as listas de coisas a fazer.
  25. Passar menos horas no computador e fazer pausas frequentes.
  26. Limpar a bancada da cozinha. Não tenho todos os pequenos electrodomésticos exposto. Deixei de fora apenas o fervedor de água que uso diariamente. 
  27. Reduzir a publicidade. Não vejo muita televisão, eliminei as newsletter do email e coloquei um autocolante Stop-pub na caixa do correio.  
  28. Assistir menos televisão. Aliás nunca gostei muito, acho uma perda de tempo. 
  29. Fazer exercício. Faço umas boas caminhadas mas quero começar a correr. Tenho que arranjar uns ténis. 
  30. Não ficar obcecada com coisas pequenas. Libertar-me de preocupações desnecessárias. Deixá-las ir e respirar fundo.
  31. Organizar o meu mundo digital. Como passo muito tempo no computador, quero que este seja produtivo, por isso está livre de tralha.
  32. Não ter cartões de crédito. Se não tenho dinheiro...não compro.  
  33. Limitar os hábitos de compra. Faço sempre uma lista de compras e tento não comprar mais do que preciso.
  34. Pretendo deitar fora ou doar 50 itens domésticos (loiças, pequenos electrodomésticos, lençóis, etc.)
  35. Deitar fora ou doar 100 itens pessoais (roupas, livros, sapatos, bijutarias, etc.)
  36. Simplificar o meu guarda-roupa, por isso adoptar um estilo simples e com cores mais sólidas para conseguir combinar com várias peças.
  37. Reduzir os meus produtos de beleza para metade e substituir por produtos biológicos.
  38. Reduzir também os produtos de limpeza e substituir por produtos mais ecológicos.
  39. Passar alguns minutos por dia, sem fazer nada.
  40. Ser mais Presente. Viver o Agora. Abrandar e observar todas as coisas que me rodeiam com olhos de ver.
Estas são algumas que já faço ou tento sempre fazer. Claro que nesta caminhada para uma vida mais simples a lista vai aumentando.

O que têm feito para simplificar a vossa vida?

No fim-de-semana que passou...

junho 09, 2014


Foi tempo para relaxar e aproveitar os dias de sol e as altas temperaturas que estiveram aqui em França (33ºC não é normal). No sábado fomos conhecer um lago novo, ideal para o desporto preferido do Edgar: pescar. Foi tempo para contemplar a natureza e bom que ela nos oferece....parar e apreciar as pequenas coisas, escutar os sons do lago e dos passarinhos num dia tranquilo, esquecer por momentos a nossa bagagem pessoal de preocupações e manter a mente serena. Focar a atenção no presente, por em prática algumas dicas do livro "O Poder do Agora", que espero falar dele aqui esta semana. 
O domingo foi passado com os amigos, mandar uns bons mergulhos na nossa "praia" e aproveitar o sol. Foi também dia para planear a semana que entra. Gosto sempre de organizar as ideias, pensar nos planos para a semana, fazer a ementa semanal e a lista das compras. E já que gostamos tanto de fazer lista de coisas a fazer no dia à dia, porque não criar uma lista de coisas a não fazer, como por exemplo:

Eu não vou ...
- Procrastinar
- Preocupar-me com coisas que estão além do meu controle
- Trabalhar sem pausas
- Ver TV mais de 1 hora num dia
- Stressar porque as coisas nem sempre são como eu quero
- Passar horas a navegar na Internet à procura de ideias, já tenho o suficiente.

Como tenho feito sempre, deixo aqui os posts que gostei mais da semana que passou:
- um vicio que sempre tive e também sempre me disseram que fazia mal...mas a Rita explica os benefícios de andar descalço;
- o estilo de vida saudável da Sara, que é também um dos meus objetivos;
- e uma inspiração que dá-nos coragem para enfrentar os dias menos bons e que tem tudo a ver com o livro que ando a ler.

Uma boa semana cheia de sol :)

O meu Processo para Destralhar...

junho 06, 2014


Eu sempre fui uma pessoa organizada. Mas quando me mudei vim viver para uma casa menor, por isso tive a necessidade de escolher as coisas mais importantes e essenciais para trazer comigo e deixar tudo o resto para trás. Este foi o primeiro grande "declutter" (destralhar, gosto mais da palavra em inglês). A tarefa não foi sentimentalmente difícil porque não sou de ficar muito apegada às coisas, como disse aqui

Depois quando cheguei a França, foi necessário reduzir as nossas coisas, para conseguir caber tudo dos dois nos espaços que temos e não comprar mais mobília. Mas ainda continuo a precisar de destralhar, ou não seria este processo um processo continuo para a simplificação das nossas vidas. Mas o meu principal desafio é viver com uma pessoa que é muito pouco minimalista e que guarda coisas que sabe que nunca mais vai precisar e utilizar, mas que continua a dizer “deixa que um dia…”. Por exemplo, no inicio ele queria comprar mais uma cómoda, porque não ia dar para guardar toda a nossa roupa, mas com algum destralhe meu e organização não foi preciso mais nada e está tudo guardado num mini roupeiro e numa cómoda. Tenho conseguido aos poucos convencê-lo a reduzir as suas coisas.

Na tarefa de destralhar as nossas coisas, tento sempre seguir alguns passos:

1- Para começar, investiguei como era feita a reciclagem aqui em França, onde estavam os ecopontos e as “déchetteries”, que são locais próprios que podemos deixar tudo o que não queremos para reciclagem: móveis velhos, electrodomésticos, cartões grandes, etc...Procurei os sites de venda online com mais usados, em Portugal uso o Olx e aqui uso o leboncoin (é igual ao custojusto.pt). Também procurei instituições onde podia entregar a roupa e outras coisas para doar. Não foi uma tarefa fácil porque não sou de cá e falo muito pouco francês, mas consegui :) 

2- Agora para começar o processo de destralhar, planeio primeiro aquilo que quero fazer, o que quero deitar fora, o que preciso de limpar ou recuperar, como quero organizar o espaço e o que é necessário comprar. Isto tudo para cada uma das divisões. Tenho toda a informação numa pasta no computador, dividida em sub-pastas: quarto, cozinha, entrada, casa-de-banho e arrecadação. 

3- Defino as várias tarefas, como destralhar a roupa, destralhar fotos ou documentos, ou destralhar uma divisão. E estabeleço uma estratégia, ou seja, como e quando iria realizar a tarefa consoante o tempo previsto para a sua realização.

4- Para não adiar muito as tarefas defino um prazo para a conclusão. Ás vezes recolhemos tanta informação e planeamos, planeamos e nunca mais metemos mãos à obra, por isso tento nunca falhar com as datas determinadas. Também pode acontecer falhar, e aí defino outro prazo mas mais curto. Depois agendo uma data específica para realizar a tarefa ou as tarefas necessárias. 

5- Passo à ação: coloco uma música (para mim essencial) e fotografo antes para depois ver a diferença. Uso o temporizador do telemóvel com o tempo estabelecido para não me distrair com outras coisas até o tempo acabar. Separo os sacos (lixo, doar e vender), e começo a destralhar. Tenho em atenção aos objectos que vou deitar fora e tento ver se realmente eles não têm mesmo mais utilidade. Não entrar em exageros e ter o bom senso!  

6- Depois de só ter as coisas quero manter defino um local certo, para manter as coisas organizadas. Aqui em casa já se sabe que tudo tem o seu devido lugar...confesso que sou um pouco picuinhas com isso, mas senão tivermos este cuidado pode tudo voltar ao normal. 

7- Tento levar tudo para o lixo imediatamente e não demorar muito tempo a doar as coisas. Faço uma lista das coisas para vender e agendo um dia para colocar tudo online. Tenho uma tabela em excel com itens para vender e a informação dos portes de envio, para facilitar depois a venda. 

8- Finalmente, tiro uma fotografia ao resultado. É mesmo gratificante e motivador ver a diferença e ver que valeu a pena o esforço. 

Quanto mais preparados tivermos para a tarefa, mais simples ela será...e mais provável será seguir em frente e não desmotivar. 

Inspiração para uma vida mais simples #2

junho 05, 2014


É tempo de observar a vida de forma simples e minimalista...para desfrutar cada vez mais. Parar de querer ter as coisas e aprender a distinguir o que é e o que não é realmente necessário...Perguntar-me sempre se é bom para mim? se é o que eu gosto? se é o que me faz feliz?  
Quero eliminar o supérfluo para poder dedicar-me por inteiro às coisas e às pessoas que realmente me interessam. Fazer da nossa casa um lugar mais simples, organizado e cheio de coisas que nós gostamos. Aliviar a carga da minha vida e viver mais leve, sem olhar muito para o passado e, por vezes, espreitar para o futuro sem muitas expectativas. 
São estas coisas que desejo alcançar com a simplificação da minha (nossa) vida...
Imagem | flickr Hannah

Vivo numa Casa Pequena e sou Feliz...

junho 04, 2014


Nós vivemos numa pequenina casa...pequenina porque tem 27,8 m2, mais um terraço de 19 m2! é uma casa com um quarto/sala, uma cozinha e uma casa-de-banho. Tem ainda uma pequena arrecadação e a única coisa grande é o jardim para a nossa cadela brincar. E chega perfeitamente para nós vivermos felizes. 

Nós saímos do nosso país para trabalhar e conseguir fazer uma poupança para um dia voltar, por isso não vemos necessidade nenhuma em viver numa casa grande. Vamos ter que trocar de casa, para a minha filha se juntar a nós, mas vamos continuar a querer uma casa pequena. Aliás eu nunca desejei viver numa casa grande, talvez por influência da minha mãe que sempre disse que não gostava de casas grandes e também só de pensar no tempo que iria perder em limpá-la! 

Uma casa pequena não significa falta de conforto, pelo contrário as vantagens de viver num espaço pequeno são muitas, pois faz-nos perceber que pode-se viver bem com menos coisas e ensina-nos a escolher o que é mesmo importante para nós. Para além de que é:
Mais barato, 
Mais dinheiro que se poupa,
Mais fácil para limpar e para manter, 
Mais tempo livre, 
Mais interação entre nós, 
Mais acolhedora...

Significa também:
Menos tralha, 
Menos horas a limpar,
Menos stress com a organização
Menos gastos energéticos, 
Menos pegada ecológica. 

Ou seja, para mim...Mais liberdade e Mais felicidade. 
Assim, se confirma que "Less is More". 
créditos imagem | origami-fun

No fim de semana que passou...

junho 03, 2014


Fiz uma sabática digital. Tive um problema com a internet cá em casa, mas preferi não fazer nada para o resolver e aproveitei a oportunidade para estar o fim de semana sem ir à internet, ver o email, ler blogs. Confesso que sou uma viciada no meu computador desde os tempos da faculdade, passo horas distraída na internet. Um hábito que tenho que mudar. Esta sabática "forçada" serviu para eu fazer muitas tarefas que tinha pendente, ou seja, tenho de fazer mais vezes. 

Assim aproveitei o fim de semana para por a leitura em dia: reli o livro "Simplifique a Sua Vida" de Elaine St. James, com 100 maneiras de abrandar e desfrutar das coisas que realmente importam, e comecei a ler "O Poder do Agora" de Eckhart Tolle, para ver se consigo focar-me mais no presente e deixar os fantasmas do passado e a ansiedade pelo futuro de lado (depois falarei aqui no blog).  

Como tenho feito todos os fins-de-semana, deixo aqui os links dos posts que gostei mais de ler da semana que passou:
- Como organizar os ebooks da Rita. Uma tarefa que tenho de fazer. 
- E não esquecer destas 10 dicas de como mudei o meu dia para melhor de Camile Carvalho.

E aproveitei muito, mas mesmo muito a minha varanda...



Não posso deixar de agradecer à Rita pela publicação do meu testemunho na sexta-feira, e a todos que vieram visitar este meu cantinho.

© Just happy with less. Design by FCD.