A importância das coisas na nossa vida

julho 16, 2014


Desde que adaptei o minimalismo como estilo de vida, tenho-me perguntado várias vezes qual o valor das coisas materiais e imateriais para mim. Desde o início achei importante determinar quais as minhas prioridades, pois não queria cair no erro de colocar os bens materiais no topo da minha lista de prioridades, negligenciando o que é realmente importante. Muitas vezes falamos que para nós é mais importante as experiências do que um bem material, mas na verdade acabamos por gastar o nosso tempo e dinheiro para alcançar bens materiais (uma casa, um carro, ou simplesmente roupa). E foi aqui que o minimalismo me ajudou...a parar para pensar no que realmente é importante para a minha vida.

No inicio fiz um desafio que encontrei no blog The Minimalists, que achei interessante partilhar aqui no blog. Os autores do blog, Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus, pedem para fazer um lista com os 10 bens materiais mais caros que possuímos, nos últimos 10 anos. Coisas como o carro, a casa, os móveis, o computador, etc. E depois pedem para fazer outra lista com as 10 coisas que dão mais valor à nossa vida. Aqui podemos colocar experiências como ver o pôr-do-sol, ler um bom livro, jantar com a família ou amigos, etc. Claro que para fazer estas listas temos de ser sinceros connosco próprios, e assim perceber quais são as coisas que poderemos reduzir ou mesmo eliminar da nossa lista de bens materiais. 

Então a minha lista de 10 bens materiais mais caros:
  1. Casa
  2. Carros
  3. Computadores
  4. Telemóveis 
  5. Consola e os respectivos jogos
  6. Mobília e decoração de casa
  7. Roupa e acessórios
  8. Tabaco
  9. Actividades sociais desnecessárias 
  10. Livros 

As 10 coisas que dão valor à minha vida:
  1. Férias com a família
  2. Um abraço de quem amo muito
  3. Caminhadas ao ar livre, na praia ou no campo
  4. Dar mimos à nossa cadela 
  5. Ler um bom livro
  6. Namorar
  7. Estar com a família e amigos
  8. Um bom pic-nic ou um bom churrasco na melhor companhia
  9. Acordar cedo e desfrutar do nascer do sol
  10. Beber um chá a ver o pôr-do-sol 
Ao escrever estas listas pode verificar que os itens das duas listas raramente coincidem. Nas minhas listas só um item coincide (os livros). Mas já não era novidade, pois Joshua e Ryan dizem mesmo isso no post. Ou seja, estamos gastando o nosso dinheiro e tempo nesses itens caros, em vez de usar nas coisas que realmente nos dão felicidade e acrescentam algum valor à nossa vida.


Claro que existe despesas que não podemos evitar, como por exemplo a casa. Contudo, precisamos mesmo de pagar uma renda exorbitante para ter uma casa grande, quando podemos ser felizes numa mais pequena. Precisamos mesmo de comprar um carro novo, quando existe tantos usados que servem para nos levar de um lugar para o outro (não é essa a sua função!). Ou seja, nem sempre podemos eliminar mas podemos reduzir e simplificar. Assim, tenho vindo a reduzir algumas coisas:
- como já referi aqui no blog, deixei de fumar para ter uma vida mais saudável e, claro, gastar menos dinheiro. 
- os tarifários dos telemóveis foram reduzidos para mais de metade. Eu só pago 2€ por mês, e continuo com internet no telemóvel e tenho 2 horas de chamadas. Como dá para Portugal também, gasto as 2 horas para falar com a família se for alguma coisa urgente, porque normalmente uso as chamadas de vídeo do facebook (são as minhas melhores amigas). 
- uma coisa que ainda não gasto dinheiro e que não está na lista, mas considero indispensável é internet em casa, porque é o meu principal meio de comunicação com a família. Quando trocar de casa vamos ter de colocar em casa, mas em relação à televisão paga não temos mesmo necessidade de a adquirir.  
- actualmente temos dois carros, mas estamos mesmo a pensar em vender um. Vamos ver com o tempo! Eu não gosto muito de conduzir (tenho a carta à pouco tempo e fico muito nervosa cada vez que pego no carro...falta de hábito, talvez!).
- os computadores foram adquiridos algum tempo (ainda não vivíamos juntos). O do Edgar nem nunca é ligado, por isso está nos planos em vendê-lo. O meu está velhinho mas cá se aguenta, no dia que deixar mesmo de funcionar substituímos.
- a consola foi comprada este ano, porque o homem queria, porque queria a consola. Usou o primeiro mês! Aqui está uma comprar por impulso desnecessária. Talvez um dia ele decida vendê-la.
- a mobília, a decoração e roupas tenho feito o máximo para simplificar e diminuir as listas de desejos que tinha. Sim, porque eu não tenho muita coisa, mas tinha imensos planos para ter. Mas nesta simplificação da vida apercebi-me que nem preciso de metade.
- os livros estão nas duas listas, porque eu adoro ler, mas também tenho muitos ebooks para ler e continuo a adquirir mais. Tenho-me esforçado para não comprar mais nenhum até acabar todos os que tenho. Ás vezes não é fácil!
- coloquei as actividades sociais desnecessárias porque quer queiramos quer não, gastávamos algum dinheiro com certas reuniões e eventos sociais. Aprendi a dizer não! A verdade é que prefiro ficar sossegada em casa e, assim, reduz-se os gastos desnecessários que podem ser aproveitados para fazer actividades bem mais interessantes.  

Em relação às coisas/experiências que dão valor à minha vida, tenho tentado dar mais atenção a elas. Estas listas são minhas, tal como as resoluções que fiz. Não significa que sirvam para as outras pessoas. Contudo considero importante deixar aqui para servir de exemplo para quem quiser.

Façam o desafio e pensam o que será importante ainda ter daqui a outros 10 anos :)

créditos da imagem | flickr Hannah (gosto muito!)

6 comentários

  1. Olá Raquel, achei muito interessante este exercício! Vou experimentar, obrigada! Pessoalmente tenho mais dificuldade em "destralhar" a mente do que os bens materiais... em relação a estes, sou uma "minimalista natural", mas a cabeça... ai a cabeça... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário :) Acho que a "tralha" da nossa mente é problema de muitas pessoas...para mim também é os mais difícil, mas já sinto algumas diferenças :)

      Eliminar
  2. Interessantissima essa reflexão! Quero fazer tambem a minha lista!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Bruna! Sim...faz a tua lista depois conta algumas das tuas conclusões :)
      Beijos

      Eliminar
  3. Que post gostoso de ler! Me deu mais certeza ainda do quanto é importante ter uma vida simples. Tenho uma meta em minha vida que eu só preciso viver com o mínimo, sabe? Sem muitos luxos e coisas que não acrescentam nada.Sei que não preciso de muito para ser feliz e isso me dá um tranquilidade enorme para continuar construindo meu futuro.
    Amei! Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Lívia pela visita! Espero que continue a gostar :) Na verdade para sermos felizes não precisamos mesmo de muito, mas nem sempre nos lembramos disso.
      Beijos

      Eliminar

© Just happy with less. Design by FCD.